Sobre os noivos

"O amor não se vê com os olhos mas com o coração" William Shakespeare

Sobre nós

Nos conhecemos: 2012
Primeiro beijo: 03/04/2013
Início do namoro: 02/11/2014
O pedido: 22/09/2016
Juntos temos: 2 anos e alguns meses

Quando nos conhecemos, nem imaginávamos que um dia tudo isso acabaria como um final assim, com a realização de um grande sonho: o casamento! O coração aperta, o dia está chegando, e começa a passar um filme de tudo o que passamos para chegar até aqui. E como é bom relembrar cada pedacinho da nossa história de amor.

 

Como tudo começou...

 

A história contada por ela:

              Nos conhecemos em 2012, no laboratório onde ambos iríamos fazer as  análises do projeto de mestrado. De início quase nem falava com ele, achava estranho, enfim...

              Com o passar do tempo fomos conversando cada dia mais e mais até que algo ‘diferente’ surgiu e fomos nos aproximando cada vez mais. Conversa vai, conversa vem, rolou o primeiro beijinho no laboratório (que a chefa não leia isso, apesar dela desconfiar rsrs).

              Os meses se passaram e as conversas foram ficando cada vez mais frequentes (exatamente: todos os dias nos falávamos pelo whatsapp), os encontros sempre em dias marcados... e assim passaram exatos 1 ano e 7 meses (sim, ele me enrolou todo esse tempo) até eu finalmente dizer que estava disposta a ir embora de Belém. Foi então que ele criou coragem (ou seja lá qual for a palavra certa) e me pediu em namoro.  E desde então tem sido os melhores dias, meses e anos que tenho vivido.

              E depois de toda essa ‘enrolação’, cá estamos nós, nos preparando para o dia mais maravilhoso de nossas vidas, nosso casamento!

              E sei que ainda vamos ter mais e mais dias repleto de amor, companheirismo, felicidades e tudo mais do que Deus tem a nos proporcionar.

              Que venha 09/09/17

 

A história contada por ele:

              Histórias sobre coisas que você nunca imaginou que iriam acontecer

              O primeiro contato com a Louise que eu me lembro foi no Laboratório de Biologia Molecular e Celular (LBMC, ou Melhor do Brasil para os íntimos) do Núcleo de Medicina Tropical. E não foi um dos melhores encontros! Rsrsrs

              Em 2012 eu estava iniciando o mestrado e passaria a frequentar o LBMC para realização dos procedimentos práticos do mestrado. Primeiro dia no laboratório, eu sentado na sala de recepção aguardando alguém a quem eu deveria acompanhar e aprender os procedimentos e técnicas que eu realizaria. Tirei um artigo da mochila e comecei a ler. Estava com fones de ouvido, mas só os usava para manter a concentração mesmo. Na sala também estava a Camila, aluna de mestrado e também amiga da Louise. Também lia alguma coisa, ou usava um notebook, nem lembro mais!

              Primeiro contato foi quando a Louise passou por trás da mesa que estávamos sentados, me viu com fones de ouvido e perguntou pra Camila: “Quem é esse menino aí?” Tirei os fones e falei: “Prazer, sou o Rodrigo. Seu futuro marido!” Mentira! Fingi que não havia escutado e fiquei lá pensando. “Égua, galera aqui é enjoada hein!” kkkkkk

              Mas nunca levei a situação para o lado pessoal, nem fiz julgamentos sobre ela por isso. Talvez por isso a gente tenha acontecido! A partir daí e nos meses iniciais nosso contato era mínimo, como nossos horários quase nunca coincidiam a gente falava basicamente “oi, bom dia, boa tarde, tchau” quando se via. Até a história da festa do CRF (Conselho Regional de Farmácia) e da garrafinha de água, que remete ao título deste post e que eu enrolei e acabei não contando. Fica pra próxima!

              Histórias jamais imaginadas: Prt II.